Um fenômeno Generalizado

A maioria das pessoas sabe o que é isso: ruídos que não surgem de fora, mas sim de dentro – a tinnitus, aquele zumbido em seu ouvido. Na maior parte dos casos, ela some tão depressa quanto vem. No entanto, às vezes isso não acontece.

“A tinnitus é uma doença generalizada”, afirma Elke Knör, a presidente da Liga Alemã para Tinnitus. Com quase seis milhões de pessoas afetadas atualmente, isso corresponde a oito por cento de toda a população alemã, um valor quase tão alto como para a diabetes. Uma em cada quatro pessoas já experimentou a tinnitus uma vez.

Aceite nosso convite veja o que pode com seu médico otorrinolaringologista e seu consultor em audiologia para juntos vencerem a tinnitus. Descubra os produtos de gerenciamento da tinnitus da HANSATON (Tinnitus Management) e encontre o mais ajustado a seu caso, para que possa desfrutar tranquilamente cada momento em sua vida.

O termo tinnitus deriva do latim, a partir da raiz perfeita do verbo tinnire.
A tradução literal é, na verdade, tinido. Os resultados fundamentais da investigação para o atual Tinnitus Management se devem os professores Hazell e Jastreboff da década de 1980. Eles perceberam que a tinnitus crônica é, por assim dizer, uma programação anômala da percepção acústica. A reabilitação da tinnitus apenas pode ser bem sucedida quando o processamento voltar ao normal e o sinal memorizado, típico da tinnitus, for “eliminado”. A percepção sonora tem que ser reprogramada.

coclea4 (1)

A orelha é formada por ouvido externo e ouvido médio para captar, agregar e transmitir sons. Dentro do ouvido interno, as vibrações do som são transformadas em impulsos nervosos. A parte cartilaginosa anterior do canal auditivo, onde estão as glândulas, produzem cerume (a cera do ouvido) e os cílios, que enviam a cera para o exterior. Portanto, podemos dizer que o ouvido é “auto-limpante”. O ouvido interno é o local dos canais semicirculares (o órgão do equilíbrio) e cóclea, que contém aproximadamente 12 mil células nervosas ciliadas externas e 3 mil internas, responsáveis pela conversão da sonoridade em impulsos nervosos. As células nervosas ciliadas externas permitem diferenciar de maneira fina os diferentes tons e volumes que percebemos.

Com os nossos olhos, com os nossos cérebros, ou com os nossos corações – como é que realmente ouvimos?

O som é uma movimentação de ar guiado através da concha do canal auditivo. No fim do canal auditivo o som colide com o tímpano e o faz vibrar. O som é então transportado para o ouvido interno por meio da cadeia de ossículos auditivos. As células ciliadas convertem o movimento em impulsos elétricos, que são transmitidos ao cérebro através do nervo auditivo.

O cérebro processa o que o ouvido capta. De onde vem o som? Quão alto ele é? É uma palavra? O que significa? No momento em que crescemos, já estamos acostumados a ouvir. Nós “bloqueamos” ruídos que aprendemos não ser importantes. Tais como ruídos de fundo contínuos. Mas o significado emocional também desempenha um papel. O soluçar suave de um bebê vai acordar mães do sono mais profundo, embora outros ruídos mais altos não as perturbem.

Nossa compreensão da fala depende do tempo em que aprendemos uma língua. Afinal, compreensão auditiva não é o trabalho da orelha, mas sim do cérebro. Tudo o que o cérebro faz, precisa ser praticado.

Audição relaxada melhora a qualidade de vida.

Os outros são geralmente os primeiros a perceber que alguém não pode mais ouvir bem. Familiares e amigos notam que você tem que pedir às pessoas para repetir com mais frequência, falam excepcionalmente alto no telefone, ou ter a televisão tão alta que toda a vizinhança pode ouvi-la. Você se sente esgotado rapidamente e tenta evitar situações que são desconfortáveis para você, como por exemplo: conversas envolvendo grupos maiores de pessoas ou com muito ruído de fundo. Audição reduzida pode ter uma série de diferentes efeitos sobre a sua vida, principalmente no contato que você tem com aqueles que o rodeiam. O discurso torna-se indistinto e você não ouve corretamente algumas palavras.

Agora é o momento certo para fazer algo sobre isso.

Há um número de diferentes causas para a perda de audição. A gravidade da dificuldade auditiva pode ser representada num audiograma de tom individual. Isto é feito através de medição do limiar de audição em diferentes frequências, em outras palavras, o volume no qual se ouve uma nota pela primeira vez. A gravidade da redução da audição pode, então, ser determinada dependendo de quão baixo está esse limiar auditivo. As pessoas muitas vezes não ouvem todas as frequências igualmente bem ou igualmente mal: a perda auditiva é dependente da frequência. Isso também explica por que muitas vezes você nem percebe os primeiros sinais da perda auditiva em si mesmo. A diminuição da audição se insinua em você lentamente. Seu cérebro se acostuma a não ouvir determinados sons. Estas zonas cansadas precisam primeiro ser treinadas. O uso de um aparelho auditivo ajuda você passo a passo a começar a perceber mais uma vez sons que você já tinha esquecido há muito tempo. Então você pode facilmente entender a pessoa com quem está falando novamente.

Não permita que a sua audição se canse. Quanto mais cedo você decidir começar a usar um aparelho auditivo, mais fácil será para retornar a ouvir tudo de novo. Não há nenhuma razão para passar outro dia com uma experiência auditiva imperfeita.

Ruídos, assobios, rugidos, latejos:

a tinnitus tem muitas faces.

Em geral, na área de medicina, o termo tinnitus é entendido como se tratando dos ruídos que são percepcionados por um ou pelos dois ouvidos e dentro da cabeça. Os ruídos podem surgir de forma permanente ou regressar ocasionalmente e são descritos de forma muito diversa quanto ao seu tipo e sonoridade.

Comparável a um estado de aflição, a tinnitus não é, no entanto, uma doença, mas mais um sintoma. Por esse motivo, é urgente tratar sua causa, a qual nem sempre é fácil de diagnosticar.

A par das diferentes doenças médicas, em mais da metade de todos os casos, o barulho e o estresse são considerados os desencadeadores. A tinnitus é um fenômeno percepcionado. Ela não leva a uma súbita perda de audição, degradação de audição ou mesmo surdez. No entanto, o ruído em sua cabeça pode tomar definitivamente o caráter de uma doença: quando se torna em um fardo pesado em sua vida cotidiana.

A estratégia de diagnóstico. Hoje, conhecem-se aproximadamente 400 causas que desencadeiama tinnitus. É, assim, necessário um estudo de médicos especialistas de diferentes orientações como primeiro passo no caminho para o tratamento e superação. Assim que existirem os resultados correspondentes, as terapias apresentadas terão que ser iniciadas. O coordenador desta estratégia de tratamento interdisciplinar deve ser um otorrinolaringologista.

Sempre pronto para ouvir:

o estresse é uma das causas mais comuns da tinnitus.

Com efeito, não adianta fechar os nossos ouvidos como fechamos os olhos, dado que a percepção acústica continua sendo ativada. A percepção sonora e o cérebro podem filtrar subconscientemente cada som individualmente, classificando os sons em uma escala de importância. Nós nos concentramos no que realmente queremos ouvir. No escritório, o barulho contínuo do computador não é nem notado.

Este processo, a habituação, requer que o subconsciente possua uma capacidade de decisão permanente. Quando estamos sobre pressão e estresse adicional, a capacidade de filtragem de nosso subconsciente para efeitos de proteção pode ser afetada. A sobrecarga faz com que ouçamos sons que são normalmente eliminados.

É dada uma atenção tão grande à tinnitus em termos acústicos que normalmente seus baixos níveis “físicos” parecem estar manifestamente patentes. O sistema límbico, que é responsável pelas sensações no cérebro, associa o som da tinnitus a uma experiência negativa e, em consequência, o corpo reage sentindo estresse.

Se o ruído no ouvido permanecer durante muito tempo, este será assimilado pelo nosso cérebro, prejudicando a qualidade de vida.circulo vicioso (1)

Círculo vicioso das sensações. Na maioria dos casos, a tinnitus não é um problema do ouvido, mas sim de percepção. Para mais de 25 por cento de todos os pacientes com tinnitus, o estresse se apresenta como um fardo pesado causado pelo ruído no ouvido.

Recuperação da audição e do bem-estar:

Tinnitus Management.

O Tinnitus Management começa por combater as causas do ruído no ouvido. Menos estresse, mais descanso e mais harmonia juntamente com as próprias necessidades são pontos de partida centrais. Exercícios de relaxamento, de acordo com a experiência, permitem aumentar a estabilidade mental e física. É muito popular o PMR (Progressive Muskel Relaxation) segundo Jacobson ou o treinamento autógeno. Para melhorar ainda mais a percepção do corpo e a coordenação se recomenda praticar Tai Chi ou Yoga. Também são muito úteis exercícios de meditação.

Os geradores de ruídos digitais são uma ajuda essencial. Eles enfraquecem significativamente as percepções indesejáveis. À semelhança da acupuntura, o estímulo perturbador é respondido com um contra-estímulo e sua repercussão é atenuada. Neste caso, na medicina, se fala de dessensibilização. Desta forma, o ruídoproduzido pela tinnitus não é encoberto, mas é suavemente filtrado pelo ruído do sistema. O ruído da tinnitus ainda permanece, mas perde seu caráter alarmante que torna a tinnitus um tormento para as pessoas afetadas.

Continuar ouvindo o ruído da tinnitus é um princípio da terapia: o objetivo é ter percepção da tinnitus de forma relaxada, sem estresse e sem medo, Ou seja, um ruído ao qual nosso cérebro vai dando cada vez menos importância com o tempo até que – como acontece com todos os sons irrelevantes – consiga desvanece-lo por completo.

tinnitus-zumbido-no-ouvido (1)

Preferências pessoais e recursos técnicos:

“Qual o melhor modelo pra mim?”

Tecnologia revolucionária em modelos exclusivos: para a nova era da inovação a HANSATON desenvolveu coberturas preciosas. Dependendo de seus desejos pessoais, poderá escolher entre sistemas auditivos intra-auriculares sofisticados, e novo e confortável X-Mini ou o elegante Slim. Seja qual for sua escolha, os sistemas da HANSATON convencem por sua beleza e inteligência. É para isso que engenheiros e designers se unem em uma incansável investigação e desenvolvimento na área de produção – para obter o resultado perfeito.

Sistemas intra-auriculares e retroauriculares da HANSATON: por dentro e por fora, qualidade de topo.

qual o melhor modelos (1)

Soluções HANSATON para a tinnitus:

Relaxamento para o ouvido, descontração para a vida diária!

A maioria das pessoas sabe o que isso é: ruídos no ouvido, que não surgem de foram, mas sim de dentro – a tinnitus. Na maior parte dos casos, ela some tão depressa quanto vem. No entanto, por vezes, isso não acontece.

Ruídos, assobios, latejos – um fardo dia após dia.

Snap 2016-07-14 at 18.26.25Em geral, na área de medicina, o termo tinnitus é entendido como se tratando dos ruídos que são percepcionados por um ou pelos dois ouvidos e dentro da cabeça. Os ruídos podem surgir de forma permanente ou regressar ocasionalmente e são descritos de forma muito diversa quanto ao seu tipo e sonoridade. Comparável a um estado de aflição, a tinnitus não é, no entanto, uma doença, mas mais um sintoma. Por esse motivo, é urgente tratar a causa, a qual nem sempre é fácil diagnosticar. A par das diferentes doenças médicas, em mais de metade de todos os casos, o barulho e o estresse são considerados os desencadeadores. No entanto, o ruído em sua cabeça pode tomar definitivamente o caráter de uma doença, nomeadamente, quando se torna em um fardo pesado em sua vida cotidiana. Com o uso de aparelhos auditivos próprios para a tinnitus, os ruídos não são tratados como terapêutica médica, no entanto, estes aparelhos dirigem de modo natural a percepção dos ruídos, assim, os sintomas da tinnitus.

Relaxamento para seu ouvido: Soluções da HANSATON para tinnitus.

Regularmente, a tinnitus tem sua origem em alguma forma de perda auditiva. Por esta razão, a HANSATON oferece aparelhos auditivos que respondam às duas necessidades e combinem uma melhor audição com uma redução da tinnitus. Através da amplificação em vista da deficiência auditiva você pode ter uma maior percepção dos sons naturais da vida diária e, simultaneamente, menor percepção da tinnitus. Nos momentos mais calmos do dia, o gerador de ruído pode ser ativado para desempenhar o processo de compensação da habituação e de compensação da tinnitus.

Com os multifacetados sound e jam da HANSATON, você dispõe de uma vasta gama de soluções para a tinnitus e de acessórios multimídia. A escolha é sua: obtenha ajuda dos quase imperceptíveis modelos intracanal no tratamento da tinnitus ou escolha os aparelhos auditivos da HANSATON de design atraente, com múltiplas cores  formas elegantes.